Assassino preso em Florianópolis

Assassino preso em Florianópolis

» Alan Rios Especial para o Correio
postado em 02/10/2018 00:00
 (foto: Iano Andrade/CB/D.A Press - 23/10/13)
(foto: Iano Andrade/CB/D.A Press - 23/10/13)

Um crime brutal ocorrido em 2013 no Distrito Federal teve, recentemente, um ponto final. Cinco anos atrás, Emmanuel de Macedo Silva, um morador de Ceilândia, discutiu com a esposa e a assassinou com sete facadas. Ele fugiu e não havia sido encontrado até este ano. Mas, após investigações do Setor de Inteligência da Polícia Civil do DF, o acusado foi achado e preso em Florianópolis.

O caso foi registrado em outubro de 2013, quando Emmanuel, com 55 anos na época, atacou a companheira, Domingas Lira de Paiva, de 47. Emmanuel conta que se lembra de ter golpeado a mulher duas vezes, mas o laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) mostrou que a vítima havia sofrido sete perfurações.


O delegado responsável pela investigação do crime afirmou que o marido teria agido com muita precisão na fuga. ;Ele teve consciência do que estava fazendo. Tanto que depois fugiu, ficou foragido e não foi mais encontrado, porque tomava muitos cuidados para não ser identificado;, contou Ricardo Viana. Mas além das procuras presenciais, a polícia também intensificou a busca pelos registros virtuais de Emmanuel, que tentava se manter ausente das redes sociais, mas acabou sendo encontrado por meio de uma foto da atual companheira.

;A mulher atual, por não saber da condição de foragido do marido, publicou uma foto dos dois nas redes sociais. Por meio de uma tecnologia de reconhecimento facial, chegamos até ele;, detalhou o delegado-chefe da 24; Delegacia de Polícia (Setor O). Foi localizado na capital catarinense. Policiais civis foram até o estado em 24 de setembro, uma segunda-feira, e passaram a procurar o homem a partir do bairro identificado.

;Nós nos deslocamos para lá e só tínhamos a informação do bairro onde a mulher estava. Começamos a investigar, tivemos informações sobre o veículo que eles estavam utilizando e, durante dois dias, monitoramos esse carro. Quando foi na quarta-feira, dia 26, ele apareceu e fizemos a abordagem.; Emmanuel, hoje com 60 anos, não ofereceu resistência e não se mostrou muito surpreso com a prisão. Acusado e policiais chegaram a Brasília na última sexta-feira, para que ele responda judicialmente pelo crime.

Vida pacata
O autor do crime tomou diversos cuidados para não ser encontrado. Além de ter escolhido uma cidade com muitas oportunidades de trabalhos informais na construção civil, também foi para lá motivado pela tranquilidade que poderia ter. ;Ele andava em locais de pouco movimento, de baixo risco. Frequentava igrejas, trabalhava próximo à residência, evitava passar onde tinha blitz, dormia muito cedo. Então, tudo isso facilitou para que ele ficasse foragido;, contou o delegado-chefe da 24; DP.

Emmanuel ainda tentava construir uma vida no local. Teve um novo relacionamento, trabalhava em diversas obras e pensava em abrir um restaurante. Segundo a polícia, a nova companheira não sabia do seu passado: ;Eles estavam juntos há um bom tempo e ambos se cuidavam, porque ele já tinha certa idade e ela tinha um problema de saúde. Mas, durante todo esse tempo, ela não sabia que ele estava foragido;, destacou Ricardo Viana.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação