Imitação de plantas

Imitação de plantas

postado em 20/03/2014 00:00

Pesquisadores da Universidade Capital Normal, na China, descobriram o fóssil de um bicho-pau do Período Cretáceo, com cerca de 126 milhões de anos. Esse seria o exemplar mais antigo já encontrado até agora de inseto que imita a forma de uma planta como estratégia de sobrevivência. Muitos insetos desenvolvem mecanismos de defesa, incluindo a habilidade de reproduzir a aparência de outros seres do hábitat em que vive. Mas, na falta de fósseis do bicho-pau e do bicho-folha, que mimetizam as plantas, pouco se sabe sobre a origem dessa interação.

Na localidade de Jehol, na Mongólia, os pesquisadores descobriram, agora, três exemplares: uma fêmea e dois machos da espécie Cretophasmomima melanogramma. Esses insetos possuíam características adaptativas que os faziam parecer um tipo de planta que cresce na mesma região. As asas dos bichos-paus fossilizados têm linhas escuras paralelas e, quando eles ficavam em posição de descanso, provavelmente produziam um formato que escondia o abdômen. Os fósseis de um exemplar de ginko, planta típica do local, apresentam desenhos semelhantes. Por isso, os autores do estudo, publicado na revista PLoS One, acreditam que ela serviu de modelo para o inseto encontrado.

Os novos fósseis indicam que mimetizar a folha foi uma estratégia de defesa adotada por esses bichos, logo no início do Cretáceo. Contudo, naquela época, outras técnicas de disfarce que eles usam hoje, como curvar as pernas dianteiras para esconder a cabeça, ainda não existiam. O fóssil também sugere que os insetos primeiro imitavam folhas para, depois, começar a mimetizar galhos e cascas de árvore. A aquisição dessas habilidades teria sido uma consequência da diversificação de aves e mamíferos de pequeno porte, que se alimentavam de insetos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação