Uma Copa para corações fortes

Uma Copa para corações fortes

Suíça neutraliza ataque argentino até o segundo tempo da prorrogação, mas o hermano da camisa 10 aproveita um erro do adversário, dá assistência a Di María no gol da vitória e sai de campo como o melhor jogador da partida que põe sua seleção nas quartas de final

Felipe Seffrin
postado em 02/07/2014 00:00
 (foto: Eddie Keogh/Reuters)
(foto: Eddie Keogh/Reuters)


São Paulo ; Quem tem Lionel Messi está mais perto da glória. Anulado ao longo de 117 minutos pela defesa suíça, o craque da Argentina precisou de apenas um lance para demonstrar genialidade e colocar os hermanos nas quartas de final da Copa do Mundo no Brasil. O jogo no Itaquerão, em São Paulo, já se encaminhava para os pênaltis quando Messi, aos 12 minutos do segundo tempo da prorrogação, aproveitou uma rara chance sem marcadores e deu passe perfeito para Di María abrir o placar. Mentor da classificação argentina, o camisa 10 foi eleito melhor em campo pela quarta vez seguida. Na próxima fase, os sul-americanos vão enfrentar a Bélgica, sábado, em Brasília.
Foi um jogo eletrizante até os minutos finais da prorrogação. Ottmar Hitzfeld, técnico da Suíça, prometeu que pararia Messi e por muito pouco não conseguiu deter o gênio argentino. Dois volantes colaram nele como carrapatos e, à frente, ainda havia uma linha fixa com outros quatro defensores. Vigiado de perto, sem espaços, o melhor jogador do mundo entre 2009 e 2012 teve raras chances de ir às redes. Tanto que só conseguiu dar dois chutes a gol nos 120 minutos da partida.

A Suíça conseguiu frear o poderoso ataque sul-americano ; formado por Messi, Di María, Lavezzi e Higuaín ; e esteve muito perto de abrir o placar. Os suíços dominaram o primeiro tempo, com uma ótima atuação de Shaquiri, e tiveram boas oportunidades na segunda etapa. Mas faltou pontaria. Os argentinos, por sua vez, dependiam de lampejos de Messi e Di María.
Após 90 minutos de uma partida aberta, com chances para os dois lados e intervenções decisivas dos goleiros, o jogo foi para a prorrogação. A torcida argentina que lotou o estádio parecia não crer que a classificação estava por um fio. Da festa azul e branca, fez-se silêncio e agonia. Já a Suíça parecia satisfeita em levar a definição para os pênaltis. Eram 11 jogadores de vermelho em seu campo de defesa. Os torcedores brasileiros, no entanto, deram um gás aos europeus, gritando olé diante dos passes dos suíços, que, por poucos segundos, fizeram Messi de bobinho.

Bola perdida

No segundo tempo da prorrogação, o relógio jogava contra a Argentina. Faltando apenas três minutos para a loteria das penalidades máximas, porém, brilhou a estrela do craque. A Suíça perdeu a bola no meio-campo, e ela foi parar nos pés de Messi. O astro arrancou em velocidade, deixou dois marcadores para trás e serviu Di María, que chutou rasteiro, em diagonal, para finalmente vencer Benaglio e abrir o placar. A euforia foi tanta que os reservas invadiram o gramado como nos tempos do golden gol.
A vitória momentânea da Argentina trouxe ainda mais emoção à partida. Sem se entregar, a Suíça partiu para o ataque e até o goleiro Benaglio foi à área oposta em busca do gol salvador. E, por pouco, questão de centímetros, o milagre não veio. Aos 15 minutos do segundo tempo da prorrogação, Dzeimali cabeceou a bola e acertou o pé da trave argentina. A pressão suíça continuou, e, aos 17 minutos, os europeus conseguiram falta na meia-lua. Reservas argentinos e suíços se ajoelharam, e o estádio se calou. Mas a bola parou na barreira. Era dia da Argentina, de Lionel Messi.

Estatísticas de Messi

Finalizações: 2
Finalização certa: 1
Assistências: 1
Passes certos: 41
Dribles certos: 6
Bolas recuperadas: 2
Desarmes: 4
Faltas sofridas: 5
Falta cometida: 0
Velocidade máxima: 27,6km/h
Distância percorrida: 10.702m


FICHA TÉCNICA

ARGENTINA 1 X 0 SUÍÇA


Gol: Di Maria, aos 12 minutos do segundo tempo da prorrogação
Cartões amarelos: Rojo (Argentina). Xhaka, Fernandes (Suíça)
Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia)
Assistentes: Mathias Klasenius e Daniel Warnmark (ambos da Suécia)

Público: 63.255 pessoas

ARGENTINA: Romero; Zabaleta, Garay, Fernández e Rojo (Basanta); Mascherano, Gago (Biglia) e Di María; Messi, Higuaín e Lavezzi (Palacio)
Técnico: Alejandro Sabella

SUÍÇA: Benaglio, Lichtsteiner, Schar, Djourou e Rodríguez; Behrami, Inler, Shaqiri, Xhaka (Gelson Fernandez) e Mehmedi (Dzemaili); Drmic (Seferovic)
Técnico: Ottmar Hitzfeld

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação