Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br

postado em 27/06/2015 00:00
 (foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 1/6/15)
(foto: Jane de Araújo/Agência Senado - 1/6/15)


O que incomoda o Planalto

Intramuros no Planalto, o que preocupou não foi a divulgação das contribuições da UTC às campanhas do PT, de Dilma, e de seus ministros. O que tirou o sono e desgastou politicamente é que, a partir de agora, todas essas doações vazadas anteriormente a conta-gotas voltam ao palco principal com a aura de indício de prova, uma vez que fazem parte da delação premiada do empresário Ricardo Pessoa, acolhida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki. Ou seja, indiretamente, o ministro do STF chancela essas doações como indício de prova a ser investigado.
Para os governistas, esse detalhe deixa claro que a presidente Dilma Rousseff, ainda que esteja embarcando hoje para os Estados Unidos, não conseguirá ficar anos-luz da operação como gostaria. Afinal, as doações da campanha não são mais tratadas como mera simpatia de um empresário pela eleição dela. E, sim, negócios.

Tiros trocados, mas;

Como a UTC doou recursos ao governo e à oposição, embora mais aos governistas, os petistas consideram que vão conseguir empatar o jogo no quesito desgaste. Aliados de Dilma, entretanto, estão mais pessimistas. Quem é governo sempre perde mais.


Conhecido na área

Dos dois deputados indicados pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, para cuidar do plano de saúde, um deles, Mandetta (DEM-MS), recebeu uma doação de R$ 100 mil da Amil para a campanha.


;Se nós abandonarmos o governo, o que sobra?;

Pergunta do ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, ao comentar com amigos as pressões internas no PMDB para que o partido deixe a coordenação de governo e a própria base governista

CURTIDAS

Laços de família;/ O ex-diretor internacional da Petrobras Jorge Zelada e o filho de Renato Duque ; o ex-diretor de Serviços da empresa, preso na Lava-Jato ; almoçaram juntos no restaurante Rio Minho, na Rua do Ouvidor, no Centro do Rio de Janeiro, especializado em frutos do mar.

; Pra lá de discretos/ O ex-diretor e o filho do amigo estavam acompanhados de outras três pessoas, todas na faixa etária do filho de Duque. Escolheram a mesa mais discreta, no canto do mezanino. Zelada fez questão de ficar de costas, mas foi reconhecido, assim como o filho de Duque, que era outro habitué do restaurante Rio Minho, antes de ser preso na Operação Lava-Jato.


Nervoso, eu?/ De uns dias para cá, o presidente do Senado, Renan Calheiros, (foto) tem estado meio irritado, o que é considerado algo muito raro, uma vez que ele é invariavelmente cordato. Dia desses, chegou ao ponto de soltar o ;Que bom-dia, o quê!!”, para um assessor. Eu, hein;

Sessão na marra/ Os deputados Heráclito Fortes e Augusto Carvalho bateram o pé ontem para abrir uma sessão da Câmara dos Deputados e conseguiram quebrar o jejum das sextas-feiras. É que o líder do PT, Sibá Machado, sempre deixa um de plantão para evitar que se abra a sessão e, assim, corram prazos para os projetos e pedidos de recurso. Ontem, o plantonista de Sibá não apareceu cedo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação