Previdência: deficit de R$ 89 bi

Previdência: deficit de R$ 89 bi

ANTONIO TEMÓTEO
postado em 23/07/2015 00:00

O governo estima que o rombo nas contas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) chegará a R$ 88,8 bilhões em 2015. A projeção faz parte do Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias do terceiro bimestre, divulgado ontem pela equipe econômica. Até maio, a previsão era de R$ 72,7 bilhões. O documento aponta que a arrecadação do Regime Geral de Previdência Social encolherá de R$ 364,6 bilhões para R$ 349,9 bilhões. A diferença de R$ 14,7 bilhões representa uma queda de 4,03% nas contribuições ao INSS.

Além disso, as despesas da Previdência aumentarão. Nas contas do Executivo, os gastos com benefícios passarão de R$ 437,4 bilhões para R$ 438,8 bilhões. O economista Marcelo Caetano, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), explica que o recuo na arrecadação decorre do aumento do desemprego. Nos últimos dois meses, mais de 200 mil trabalhadores que tinham carteira assinada foram demitidos e deixaram de fazer recolhimentos.

Caetano avalia ainda que parte das pessoas que têm dificuldade para conseguir uma nova ocupação e possuem idade ou tempo de contribuição suficiente vão requerer aposentaria. ;Quem teme ficar sem renda pode apelar ao INSS para garantir o sustento da família. A situação pode piorar se mais pessoas forem demitidas;, comentou.

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, comentou que as despesas com o pagamento de abono salarial e do seguro-desemprego também devem aumentar. O gasto projetado chega a R$ 45,8 bilhões. Antes, a estimativa era de R$ 41,9 bilhões.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação