Grita geral

Grita geral

postado em 13/11/2015 00:00

Agefis
Ambulantes em local perigoso

O analista de sistemas Fábio Oliveira, 33 anos, encaminhou uma mensagem para o WhatsApp do Correio (9256-3846) para reclamar de uma situação recorrente. Segundo ele, vendedores ambulantes comercializam seus produtos na rodovia que fica entre o Catetinho e o posto de polícia rodoviária, no caminho para Santa Maria. ;Eles estão lá de segunda a sexta-feira e colocam em risco a segurança de quem utiliza a via;, assegura. Como explica Fábio, essa movimentação costuma ocorrer no fim do dia, quando os moradores de Santa Maria e do Entorno estão voltando para casa. ;Temos que redobrar os cuidados porque eles ficam no corredor entre os carros, e isso atrapalha o trânsito e aumenta o risco de acidentes;, conta.

; A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) informou que a fiscalização de ambulantes em todo o DF é constante. O governo de Brasília estuda novas estratégias para tratar o comércio ambulante. Em eventos, os ambulantes podem ser credenciados pela Secretaria de Gestão de Território e Habitação (Segeth), assim tendo autorização para exercer comércio de produtos em área pública. O foco da Agefis, no momento, é combater a concentração nos grandes centros urbanos. A situação é muito mais ampla do que, apenas, reprimir. É uma questão social e será tratada em todos os seus aspectos.


Receita Federal
Dificuldade para quitar dívida


A servidora pública Marcia Silva, 39 anos, encaminhou uma mensagem para a equipe do Grita Geral para reclamar de problemas com a Receita Federal. A leitora conta que está há três meses tentando agendar um horário para fazer uma negociação com a Receita. ;Preciso pagar uma dívida da minha empresa e não consigo;, reclama. Marcia deseja pagar a conta e acabar com o problema. ;Eles abrem para pegar a senha somente pela internet e das 6h às 9h. Apesar disso, se você entra às 6h, eles já informam que as senhas estão esgotadas;, lamenta. Sem saber como proceder, Marcia pede explicações para a dificuldade de agendamento e deseja que o problema seja resolvido o quanto antes.

; Em nota, a Delegacia da Receita Federal do Brasil em Brasília afirma que, com vistas a adequar a grande procura pelos Centros de Atendimento ao Contribuinte (CAC) à capacidade de prestação de serviços, o atendimento das pessoas jurídicas se dá exclusivamente por meio de agendamento, conforme determinado na Portaria RFB n; 2.445, de 22 de dezembro de 2010. As senhas são distribuídas, diariamente, conforme a disponibilidade e a capacidade de atendimento. No caso da contribuinte, a negociação poderia ter sido realizada mediante acesso ao Portal e-CAC (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte), sem a necessidade de comparecer à Receita Federal. Em atendimento presencial realizado no CAC/Brasília, o representante da empresa foi orientado sobre como solucionar suas pendências com a Receita Federal.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação