Jovem cigana passa 4 dias sequestrada

Jovem cigana passa 4 dias sequestrada

Primo de 27 anos devolveu ontem a menina aos pais dela e desapareceu outra vez. Apesar de abalada psicologicamente, a vítima está bem. Polícia continua as buscas ao suspeito

» BERNARDO BITTAR
postado em 17/12/2015 00:00
 (foto: Polícia Civil/Divulgação)
(foto: Polícia Civil/Divulgação)




A angústia da família de Maria de Fátima Almeida terminou no fim da tarde de ontem, após a filha, de 15 anos, sequestrada pelo primo, no último domingo, ser devolvida pelo suspeito. Nina Almeida Mendes foi deixada no mesmo local de onde ele a levou: a casa dos pais, em um acampamento de ciganos, em Sobradinho. Após entregá-la, Lorrano Silva Rocha, 27 anos, o Caburel, desapareceu novamente. A menina não apresentava ferimentos, apesar de abalada psicologicamente.

Apesar de Lorrano ter devolvido a jovem à família, a polícia continua à procura do suspeito. Segundo a investigação, Lorrano estava armado durante o sequestro e pretendia se casar com Nina, com quem supostamente tinha um relacionamento amoroso. ;Ela está muito abalada, vai passar pelos procedimentos necessários e a mãe precisa acompanhar tudo de perto;, explicou uma agente da Polícia Civil, que estava ontem na casa dos parentes da vítima. ;Estava muito chateada, porque a Nina é minha amiga, minha filha querida. Fiquei em choque;, lembrou Maria de Fátima. ;A mãe espera muito tempo para ter um filho. Mais ainda para criá-lo. Quando alguém a leva e você se vê sem saber se ele volta, é um desespero enorme;, acrescentou.

O acampamento cigano fica próximo à Rota do Cavalo, no Condomínio Serra Verde. No momento do crime, a família havia saído. Maria de Fátima e o caçula da família estavam na feira de Planaltina de Goiás, onde vendem artesanatos. O pai, André Mendes, também havia saído. Segundo a mãe, a adolescente raramente ficava sozinha. ;Eu a chamei para ir comigo à feira nesse dia, mas ela ficou em casa para arrumar tudo e fazer o almoço. Aí, o padrinho dela resolveu descansar na tenda dele, e o Caburel arrastou a Nina para o carro;, contou Maria. Um morador do acampamento viu a menina pedir socorro e tentou impedir o sequestro. Para espantá-lo, Lorrano deu dois tiros para o alto e entrou em um Kadett azul. Vizinhos tentaram seguir o suspeito, mas não os encontraram.

Segundo o titular da Delegacia de Repressão a Sequestros (DRS), Leandro Ritt, o acusado não tem Certidão de Nascimento, o que dificulta o trabalho policial. ;Toda a comunidade cigana do país está sabendo do sequestro e se uniu para ajudar nas investigações. Eles repudiam a atitude de Lorrano e dizem que não vão aceitar ajudá-lo. Assim, cremos que ele deva procurar abrigo longe de familiares e conhecidos;, afirmou o delegado.

Ainda no domingo, Lorrano entrou em contato, por telefone, com o pai, que pediu para devolver a menina. Ele teria prometido entregar Nina aos pais dela no mesmo dia. ;Achamos que ele fez isso para ganhar tempo, com a intenção de fugir para mais longe;, concluiu Leandro. Na segunda-feira, o suspeito ligou novamente para o pai, que passou o telefone a Maria. ;Ele estava o tempo todo rindo, e ela, nervosa, só perguntava onde a gente estava. Ele me disse que tinha o que queria. Ela me falou: ;Mãe, amanhã eu volto para vocês;. Acho que o Caburel estava com a arma na cabeça dela na hora. Quando eu perguntei onde eles estavam, ele desligou;, detalhou Maria.

Entre família

Na tradição cigana, a moça é prometida em casamento ao noivo. Segundo Maria, Nina nunca namorou e não tinha interesse em Lorrano. A mãe sabia que o homem tinha interesse na adolescente, mas não imaginava que ele a sequestraria. ;Nós confiamos na nossa comunidade. Ele passou por outros relacionamentos, que nunca deram certo. É uma pessoa sozinha, e a gente sabe que ele andava com amizades ruins. A minha filha não gosta dele. O meu maior medo é ele tentar algo com ela à força e a machucar, pois sei que ela não aceitaria;, acredita Maria de Fátima.

Lorrano é sobrinho de André Mendes, pai da menina. Ele conta que a maior parte das pessoas que vive no acampamento é parente. ;Estão todos chocados e nos ajudando a procurar por eles. Pedimos para a população denunciar, caso os vejam. Eles podem estar em qualquer lugar, mas sei que, com a nossa comunidade cigana, ele não pode contar. Só queremos a nossa filha de volta;, disse o pai. Lorrano pode pegar 5 anos de prisão por sequestro e cárcere privado. A pena pode aumentar, caso sejam constatados antecedentes criminais.

Denuncie
; Qualquer informação pode ser dada em qualquer delegacia ou pelo número 197.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação