Na onda do Natal

Na onda do Natal

Cerca de 700 crianças e 300 adultos de Vila do Boa participaram de atividades educativas e recreativas. Evento incluiu Papai Noel, brincadeiras e shows

» Roberta Pinheiro
postado em 17/12/2015 00:00
 (foto: André Violatti/Esp.CB/D.A. Press)
(foto: André Violatti/Esp.CB/D.A. Press)

Olhos vidrados no portão verde. Por alguns segundos, houve silêncio. Quando a primeira fresta da porta se abriu, as crianças prenderam a respiração e no momento que o tão esperado visitante chegou não faltou comemoração. Era o Papai Noel. Meninos e meninas da comunidade Vila do Boa, em São Sebastião, estavam reunidos na Escola Classe aguardando ansiosamente a promessa de uma visita especial. Minutos antes, os mais velhos disseram ser o Bom Velhinho uma lenda. Mas, no momento da emoção, todos se juntaram ao redor do barbudo para tirar uma foto, dar um abraço e dizer que ;sim, fui um bom menino e um bom aluno;.

Ele foi ovacionado e praticamente carregado no colo pela criançada. Apesar da timidez, André Luis de Sousa Alencar, 6 anos, não conseguiu esconder a alegria ao receber das mãos do Papai Noel o presente de Natal. ;Esperei o dia todo por ele;, conta o menino. Em um embrulho vermelho, estavam dois caminhões que logo foram inaugurados na brincadeira com os amigos. A fila para se sentar no colo do bom velhinho era enorme. Crianças de todas as idades queriam desfrutar do momento. Até os pais que acompanhavam os filhos menores não perderam a chance e mostraram que Natal não tem idade. A essência da data vai além do imaginário infantil.


A visita do Papai Noel finalizou o Natal da Vila do Boa, promovido no último domingo pela ONG Onda do Bem. Durante um dia inteiro, cerca de 700 crianças e 300 adultos participaram de diferentes atividades desde educativas, como higienização bucal, até recreativas, com direito à cama elástica, pintura de rosto e show com músicos da cidade. Também tiveram atendimento psicológico, corte de cabelo e maquiagem. ;Tudo começou com um grupo de amigos que fazia pequenas ações sociais. A onda foi aumentando e cativando mais gente. Ano passado, fizemos a festa do Dia das Crianças na creche e agora resolvemos fazer a festa de Natal;, explica uma das organizadoras Ana Luíza Gomes, 29 anos.

A Vila do Boa é uma invasão que fica próximo aSão Sebastião. A comunidade foi escolhida por este grupo de surfistas do bem que quer fazer a diferença e, mais do que isso, encontrar pequenos futuros atletas. ;A população aqui é muito esquecida. Temos problemas de saúde e de lazer, por exemplo. Atividades assim são muito importantes. As crianças não têm isso em casa;, comenta Alessandra de Oliveira Alves, 26 anos, coordenadora de Relações Públicas da Creche Santa Rita. A instituição atende 40 crianças em período integral e, além da ajuda de voluntários, conta com o apoio dos vicentinos.


Sonhos
Correndo de um lado para o outro, um grupo de amigas aproveita o dia pensado especialmente para a criançada. Quem liga se a calça está suja de SE sentar no chão? Na hora da foto, a pose é de modelo profissional. ;É bem assim que faz, olha tia;, mostra Bruna Almeida da Silva, 10 anos. Pouco depois de terem chegado ao evento, as meninas haviam brincado no pula-pula, pintado o rosto, comido cachorro-quente e queriam mais. Papai Noel era o nome mais comentado. ;Quero um tablet para tirar uma selfie e postar no meu Facebook;, dizia Aysha Silva Lima, 10 anos.

Entre um gole e outro de refrigerante no bico da garrafa, vale sonhar, e a comunidade da Vila do Boa é cheia de anseios. Bruna e a amiga Samara Maria da Costa Oliveira, 7 anos, querem ser professoras. ;Para brigar com os meninos bagunceiros;, justificam. A mais nova, Ana Cecília Rodrigues da Silva, 5, prefere a profissão de aluna e Aysha planeja ser médica. Do outro lado da escola, Mateus da Silva, 8, e Ricardo Lopes da Silva, 8, se inspiram nos ídolos Messi e Neymar, respectivamente, para permanecer invictos na mesa de totó.


O encanto do Natal também tirou de casa Deusdália Andrade, 64 anos. A dona de casa mora na comunidade desde 1994. ;Quando cheguei aqui não tinha energia, asfalto, não tinha quase nada;, relembra. Ela veio para Brasília com os filhos buscar uma nova vida, porque a família não aceitava o fato de ser mãe solteira. Há sete anos, ao fazer um procedimento no hospital, pegou uma bactéria e teve que amputar uma das pernas. Desde então, sair de casa é um desafio e a situação piorou em novembro, quando caiu da cadeira já desgastada.


A OnG Onda do Bem comprou uma nova cadeira de rodas para Deusdália e ainda uma especial para o banho. Ao receber o presente, a dona de casa não conteve o choro. ;Nunca saio de casa. Agora é lutar para vencer;, define. Além dela, cinco pessoas receberam um equipamento novo. Os presentes nem o dia de brincadeira no pula-pula vão transformar a realidade ou resolver os problemas da Vila do Boa. No entanto, o que depender da ação dos surfistas desta onda brasiliense, a visita do Papai Noel foi apenas o primeiro passo de uma nova história de solidariedade e carinho.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação