Menem acusa Cristina

Menem acusa Cristina

postado em 24/02/2016 00:00


Em entrevista ao programa La Once Diez da Radio de la Ciudad, o ex-presidente da Argentina Carlos Menem lançou polêmica teoria ao abordar a morte do também ex-presidente Néstor Kirchner e ao comentar sua relação com ele e a mulher, Cristina Kirchner, a quem classificou de ;muito soberba;. ;Bom, a morte do esposo ficou meio em dúvida, a tal ponto que se está por fazer uma necropsia, para saber de que Néstor morreu. Porque muitos ; agora, não antes, antes era impossível falar do tema ; sustentam que a mulher matou Néstor. Porque Néstor, de acordo com o que uma pessoa escutou e denunciou, a castigava de forma muito feia. E, então, ela o teria matado;, declarou. Ao ser questionado sobre o que pensava da teoria, Menem respondeu: ;Até que não se prove o que se disse, não tenho autoridade nem conhecimento para afirmar que a esposa matou Néstor;. O marido de Cristina morreu na manhã de 27 de outubro de 2010, supostamente vítima de parada cardiorrespiratória, na cidade turística de El Calafate, na província de Santa Cruz.

;É uma estupidez, não há nada a opinar;, desconversou Leandro Morgenfeld, professor de história argentina pela Universidade de Buenos Aires (UBA), ao ser questionado pelo Correio sobre a acusação. Na entrevista, Menem deixou transparecer aversão à antecessora de Mauricio Macri. ;Ela é uma mulher inteligente, capaz e muito soberba. Mas, se chegou a governar, é por algum motivo;, comentou. Por sua vez, lembrou que Néstor falou ;coisas a favor; dele e lhe considerava ;o melhor presidente de todos os tempos;.

Travesti
Sem papas na língua, Menem também falou sobre suas preferências sexuais e admitiu ter sido uma ;bala perdida;. ;Que eu me lembre, não estive com um travesti. Creio. Passaram tantas coisas em minha vida. (;) Jamais um homem tentou me seduzir. Nesses momentos, eu não teria permitido. Não sei agora;, confidenciou, em meio a sorrisos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação