Flu vence em Mané seguro

Flu vence em Mané seguro

Na primeira partida após a briga de torcidas e com público menor, Mané Garrincha não registra incidentes em Fluminense x Corinthians. No domingo, o teste final será no confronto entre Flamengo e São Paulo

VÍTOR DE MORAES
postado em 17/06/2016 00:00
 (foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)


Menos de duas semanas depois da violenta briga entre torcidas organizadas de Palmeiras e Flamengo, no Mané Garrincha, o estádio recebeu ontem Fluminense x Corinthians, com 21.148 pagantes. Os ânimos estavam bem tranquilos, mas público entrou estressado na arena. Havia filas quilométricas nos portões. Quando a partida começou, às 20h, milhares de pessoas ainda estavam do lado de fora, algo, por sinal, comum nos jogos em Brasília.

As duas pequenas organizadas do Fluminense presentes ao estádio foram isoladas atrás de um dos gols. Elas ficaram separadas por um bloco de assentos na arquibancada superior. Uma delas foi instalada na ponta oposta da arena em relação às duas facções do Corinthians. Seis blocos distanciaram as adversárias.

Seguranças privados e policiais militares, intercalados, também precisaram isolar as duas torcidas do time paulista. A Gaviões da Fiel, posicionada ao lado das tribunas de imprensa, ficou cercada pelo efetivo. Um bloco vazio depois estava a Pavilhão Nove. As arquibancadas inferior e superior abrigaram torcidas mistas.

O receio de um novo episódio violento permeava as conversas entre torcedores durante o intervalo, no corredor interno, que dá acesso às arquibancadas. Foi lá que aconteceu o confronto entre flamenguistas e palmeirenses.

Para o Mané Garrincha receber o confronto de ontem ; o estádio tinha sido interditado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ;, a Secretaria de Segurança Pública do DF teve de fazer alterações no plano de segurança.

O acesso às organizadas do Timão foi bloqueado também nos corredores internos. Tapumes altos de ferro impediam não só a passagem para a área dessas torcidas, mas também a visão do outro lado. Em comparação com Fla x Palmeiras, o número de seguranças privados saltou de 380 para 500. O público daquele dia, porém, foi mais do que o dobro dos presentes ontem.

No intervalo, os telões ficaram brancos, e uma mensagem de paz foi emitida no sistema de som. Ao fim, apareceu a hashtag #omanégarrinchaédapaz. Depois disso, a Gaviões da Fiel estendeu uma bandeira, em forma de camisa, até a arquibancada inferior, onde estavam centenas de torcedores do Fluminense. Os tricolores, porém, não se incomodaram.

Ficha técnica

Fluminense 1
Diego Cavalieri; Jonathan, Gum, Henrique e Wellington Silva; Douglas, Edson, Cícero e Gustavo Scarpa (Osvaldo); Marcos Junior (Maranhão) e Richarlison (Magno Alves)
Técnico: Levir Culpi

Corinthians
Walter (Cássio); Fagner, Balbuena, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias (Rodriguinho) e Guilherme (Camacho); Giovanni Augusto, Luciano e Marquinhos Gabriel
Técnico: Fábio Carille (interino)

Gol: Cíccero
Cartões amarelos: Douglas e Maranhão (Fluminense)
Cartão vermelho: Yago
Público: 21.148 pagantes
Renda: R$ 994.960
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação