Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 24/06/2016 00:00


Lava-Jato na Esplanada reforça impeachment
Em suas avaliações mais reservadas, os petistas calculam que, diante da prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, o partido perdeu qualquer chance de dizer que o coração do governo Dilma Rousseff e de seu antecessor, Lula, estava blindado contra malfeitos e distante da caixa-preta partidária que perpassou a administração da Petrobras. O esquema estava dentro do Planejamento, pasta considerada chave e integrante do chamado núcleo duro em qualquer administração. Diante disso, integrantes do próprio PT consideram que a chance de Dilma negociar um retorno se esvai.

A tese de levar para dentro da Comissão Especial do impeachment a delação de Sérgio Machado contra o PMDB também cairá em desuso. Em termos de escândalos, tem para todos os partidos.

Ela fica, mas...
A senadora Gleisi Hoffmann conversou por telefone com Lindberg Farias (PT-RJ), pra dizer que não iria ontem à comissão do Impeachment, mas, na semana que vem, pretende reassumir seu posto na defesa de Dilma. Ela só sairá do colegiado se quiser.

;vai ter que engolir
Até aqui, a comissão especial foi cortês e solidária com a senadora petista. Porém, na hora em que o debate esquentar, e tem esquentado todos os dias, há dúvidas sobre o uso de luvas de pelica.

Turbulência & Custo
A investigação de ontem colocou mais uma lupa sobre braços da Lava-Jato em Pernambuco. A ordem agora será cruzar dados da Consulcred com o laranjal estourado na Turbulência no início da semana. Os investigadores consideram que esse braço do esquema não era pequeno, até porque passaram pela Consulcred R$ 32 milhões, praticamente 1/3 do que a PF calcula ter sido desviado.

Efeito Orloff
Adversários de Renan Calheiros viram uma certa defesa pessoal nas reclamações da Mesa Diretora do Senado apresentadas à Justiça contra a busca e apreensão na casa de uma senadora (Gleisi Hoffmann). Algo do tipo, ;eu posso ser você amanhã;. Nenhum senador quer passar pelo constrangimento de busca e apreensão sem ordens do STF.

Sobraram as pedaladas
Primeiro, Dilma Rousseff perdeu o direito a usar o helicóptero. em seguida, foi a vez do avião presidencial. Agora, não poderá nem andar de motocicleta com Carlos Gabas, alvo de uma condução coercitiva ontem. Restou apenas; A bicicleta.

A hora deles e delas
A Casa vive o período das agruras dos cônjuges. Primeiro, foi a mulher do senador Telmário (PDT-RR). Ontem, o marido da senadora Gleisi.


Além de Moro
Até aqui, os políticos tratavam Sérgio Moro como um justiceiro que destoava da Justiça de um modo geral. Agora, com a decisão do juiz Paulo Bueno de Azevedo (foto) dentro da Operação Custo Brasil, os políticos consideram que esse comportamento será geral.

Olha a foto!
O repórter fotográfico Alan Marques lança hoje à noite o livro A máquina de Acelerar o tempo, com reflexões e conversas com renomados profissionais da área sobre a arte do fotojornalismo contemporâneo. Leitura obrigatória para fotógrafos, jornalistas, estudantes e, ainda, as fontes retratadas nas imagens, a partir das 19h, no SIG Quadra 2 lotes 420/ 430/ 440 ; City Offices Jornalista Carlos Castello Branco, Cobertura C13.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação