Israelenses devem ficar

Israelenses devem ficar

» Gustavo Werneck
postado em 30/01/2019 00:00

O chefe da delegação de Israel que atua em Brumadinho, Golan Vach, 54 anos, informou na tarde de ontem que a Força de Defesa do seu país ficará em Minas até ;sermos úteis;. Pouco antes, o embaixador do país no Brasil, Yossi Shelley, havia dito aos repórteres na Estação Conhecimento (Centro Cultural da Vale) que o retorno ao país do Oriente Médio seria na sexta-feira.

De acordo com o coronel Erlon, chefe do estado-maior do Corpo de Bombeiros, foram encontrados 15 corpos em vários lugares, incluindo um ônibus, em operações dos brasileiros e israelenses. ;É uma missão de integração, que teve apenas 12 horas de planejamento conjunto, e teve escavações e resgates;, disse o coronel.

Vach, pai de sete filhos e que atuou em 21 missões de resgates, incluindo o México, classificou a situação em Brumadinho ;um desastre horrível; e diz que trouxeram os mais modernos equipamentos capazes de rastrear celulares e ;pessoas vivas;, que é o objetivo.

Um dos momentos bonitos da entrevista coletiva foi o curto e emocionante depoimento da militar Amit Levi, 21, filha de brasileiros e nascida em Israel. Com os olhos brilhantes, ela disse em português estar orgulhosa de participar de uma missão na terra dos pais e avós, naturais do Rio de Janeiro (RJ). Com um jeito tímido, Amit contou que até fez curso de especialização em resgate e disse estar certa de que os militares brasileiros saberão levar adiante seu trabalho para proteger vidas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação