Mercado S/A

Mercado S/A

Em 2020, enorme potencial de crescimento do Ibovespa

postado em 13/12/2019 00:00
 (foto: Ramon Lisboa/Estado de Minas)
(foto: Ramon Lisboa/Estado de Minas)
Na economia, um ano para comemorar

Não é preciso muito esforço para perceber que, do ponto de vista econômico, o Brasil se tornou um país melhor em 2019. Nesta semana, a taxa de juros chegou a 4,5%, mínima histórica que traduz um antigo anseio dos economistas brasileiros. A inflação, apesar da disparada do preço da carne nos últimos dias, se mantém abaixo de 4%, o que é bastante incomum na trajetória do país. A agenda de reformas também avançou. As novas regras para a aposentadoria foram aprovadas, a Lei da Liberdade Econômica passou e é consenso ; mesmo entre os críticos do governo ; que o Brasil precisa produzir em 2020 uma robusta reforma tributária. Não é à toa que as previsões do PIB para 2019 e 2020 estão sendo revistas para cima, outro fenômeno raro nos últimos anos (na verdade, as projeções sempre foram reformuladas para baixo). Por mais que o governo tenha provocado desnecessária confusão em outras áreas, é preciso reconhecer que, na economia, o Brasil vai bem.


"Estamos implementando as reformas. O Brasil está com o menor deficit dos últimos cinco anos ou seis anos. A taxa de juros está desabando. O Brasil está acelerando"
Paulo Guedes, ministro da Economia


Bolsa rumo aos 115 mil pontos

Os sinais positivos da economia brasileira já repercutem no exterior. Um relatório do americano Bank of America indica, em 2020, ;enorme potencial de crescimento; do Ibovespa, o principal índice da bolsa brasileira. ;Os 115 mil pontos estão logo ali;, disse a instituição. Ontem, o índice brasileiro fechou aos 112.199 pontos, novo recorde. Segundo o Bank o America, que acompanha o mercado de ações de 73 países, o índice brasileiro só não é tão promissor quanto o da bolsa de Istambul


Rede 5G vai demorar para emplacar no Brasil

O mesmo Bank of America não está tão otimista com o futuro das telecomunicações no Brasil. Em agosto, a instituição previa que o país atingiria, até 2024, 14 milhões de smartphones com a tecnologia 5G. Agora, a estimativa foi reduzida para 12 milhões de celulares, o que significa uma redução de 14%. O banco aponta o atraso no leilão para a concessão da frequência 5G como o principal motivo para a revisão pessimista de seus números.


Amazon vai abrir Centro de Distribuição em Pernambuco

A briga no varejo brasileiro promete esquentar. Ontem, a Amazon anunciou a instalação de um centro de distribuição em Cabo de Santo Agostinho, nos arredores do Porto de Suape, em Pernambuco. Será o primeiro galpão da varejista fora do Sudeste. A ideia é acelerar a entrega de encomendas nas regiões Nordeste e Norte do país, onde o Magazine Luiza tem forte penetração. Segundo a Amazon, a expectativa é de que o centro entre em operação no primeiro trimestre de 2020.


R$ 3 bilhões

É quanto deverá injetar na economia brasileira o novo limite para saques do FGTS, que passou de R$ 500 para R$ 998


Rapidinhas
  • Considerada a empresa mais sustentável do planeta, a Patagonia, grife americana de roupas para esportes de aventura, quer se tornar uma empresa menor. Seu fundador, o ex-alpinista, Yvon Chouinard, disse que companhias grandes demais fazem mal para o planeta. No ano passado, a grife californiana faturou US$ 1 bilhão.

  • É bom não duvidar de Chouinard. Em 2011, durante a Black Friday nos Estados Unidos, ele publicou um anúncio nos jornais do país pedindo às pessoas para não comprarem seus produtos. A propaganda, disse ele, era uma crítica ao consumo desenfreado que pode causar danos ao planeta.

  • As lambanças da WeWork, empresa de escritório compartilhado que prometia revolucionar o mercado imobiliário global, vão virar série de TV. Duas produtoras americanas já estão dedicadas ao projeto, que deve ganhar as telas até o final de 2020. A série vai abordar principalmente o cancelamento da abertura de capital da empresa.

  • A Apple lançou nesta semana, nos Estados Unidos, seu novo computador Mac Pro. O que chama a atenção no modelo é o preço. A versão com a configuração mais avançada custa US$ 65 mil, algo como R$ 265 mil. O valor, alto demais até para os padrões americanos, despertou a ira dos fanáticos pela marca, que estão promovendo um verdadeiro levante nas redes sociais.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação