Estelionatário fraudava máquinas de cartões

Estelionatário fraudava máquinas de cartões

» MARIANA LABOISSIÈRE
postado em 10/10/2014 00:00
 (foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press)
(foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press)

Um homem de 34 anos acabou preso por estelionato e uso de documentos falsos, em Vicente Pires. Alex Fortunato da Silva adulterava máquinas de cartão de crédito e fabricava cartões clonados. Conhecido por praticar vários golpes no Distrito Federal, o acusado havia sido preso em 2012 também por estelionato, mas a polícia tinha a informação de que ele continuava praticando esses crimes.

Agentes da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, a Ordem Tributária e a Fraudes (Corf) sabiam que Alex usava um carro de placa clonada da marca Mitsubishi, grafite, ano 2010. A polícia localizou o veículo em Vicente Pires e, dentro dele, uma máquina de cartão de crédito. Em seguida, os agentes seguiram para a residência do suspeito, na mesma região administrativa, onde encontraram 10 equipamentos e 20 cartões clonados. Foram apreendidos também aparelhos de televisão, videogames, câmeras fotográficas, notebooks, entre outros.

O titular da Corf, delegado Joás Rosa de Souza, acredita que Alex não agia sozinho. ;Ele pedia os equipamentos pela internet e, depois, abria e adulterava para que gravassem os dados do cartão do cliente;, detalhou. ;Os possíveis comparsas visitavam empresas se passando por técnicos e falavam que precisariam trocar as máquinas de cartão por elas apresentarem defeito;, acrescentou. As máquinas originais eram substituídas pelas adulteradas e, em uma segunda visita do suposto técnico, a troca era desfeita. Ainda segundo o delegado, os dados para a fabricação dos cartões clonados eram obtidos dessa forma.

Caso condenado, Alex pode pegar até 11 anos de prisão. A pena para o crime de estelionato é de 1 a 5 anos de reclusão e, para uso de documentos falsos, de 2 a 6 anos. As vítimas e os cúmplices ainda não foram localizados pela polícia, que segue investigando o caso. ;Cabe um alerta aos comerciantes para que fiquem atentos a pessoas que se passem por técnicos. Para evitar esse tipo de golpe, eles devem verificar a identificação do profissional e ligar nas empresas que prestam esse tipo de serviço;, disse o delegado Joás.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação