Jogador é internado

Jogador é internado

Atacante Sebastián Driussi, do River Plate, teve detectada inflamação no cérebro, após ser atingido por composto com pimenta caiena, pimenta picante e ácido na partida contra o Boca Juniors, na quinta-feira

postado em 17/05/2015 00:00
 (foto: Juan Mabromata/AFP - 15/5/15
)
(foto: Juan Mabromata/AFP - 15/5/15 )

A violência que marcou e suspendeu a partida entre Boca Juniors e River Plate, na Bombonera, pela Copa Libertadores, segue mostrando consequências. O River emitiu comunicado informando que o atacante Sebastián Driussi, de 19 anos, está internado em um hospital de Buenos Aires com um tipo de inflamação cerebral conhecida como cefalite.

Também integrante da seleção argentina sub-20, o atacante chegou a comparecer ao treino, mas reclamava de fortes dores de cabeça. Os analgésicos não surtiam efeito. Ele foi submetido a exames de sangue e a tomografia. O jogador também enfrenta complicações gastrointestinais. No hospital, é acompanhado pelo médico do clube, Pedro Hansing.

A situação do jovem atleta é mais um dos efeitos do contato da equipe com a substância tóxica atirada no túnel do River durante a partida, na quinta-feira. A princípio, se falou em gás de pimenta, mas, segundo a perícia, o composto caseiro é chamado ;mostacero;, formado por pimenta caiena, pimenta picante e ácido para fermentação, que pode causar danos graves. A mistura é muito utilizada em rebeliões carcerárias na Argentina. O responsável pela violência ainda não foi identificado.

O caso segue sob investigação da Conmebol. O Boca tinha até as 15h de ontem para entregar sua defesa e esperava-se que o Tribunal de Disciplina informasse o veredito imediatamente após esse prazo, diante da gravidade dos acontecimentos. ;Ainda estão reunidos e não sei se (a decisão) sairá hoje (ontem) ou amanhã (hoje);, informou Néstor Benítez, diretor de Comunicação da entidade, por volta das 19h de ontem.

A expectativa é de eliminação imediata do Boca Juniors, como prevê parte da imprensa da Argentina. Desse modo, o River Plate estaria automaticamente garantido nas quartas de final da Libertadores, nas quais enfrentaria o Cruzeiro.

Ontem, o presidente do Boca Juniors, Daniel Angelici, se reuniu com o presidente da Conmebol, Juan Ángel Napour. O encontro ocorreu na sede administrativa da entidade, em Luque, perto de Assunção, no Paraguai, onde, desde cedo, dois dirigentes do clube argentino, entre eles o secretário-geral César Martucci, defendiam uma redução de uma provável suspensão. A Fifa pediu que a punição seja exemplar. ;Qualquer que seja a decisão, seremos prejudicados;, declarou Angelici em coletiva de imprensa na sexta-feira, em Buenos Aires. O dirigente admitiu ;toda a responsabilidade; pelos incidentes e prometeu ;punição exemplar; aos torcedores envolvidos.

A Bombonera foi fechada na quinta-feira, após o ataque aos jogadores, ocorrido no intervalo da partida. Após cerca de uma hora e meia de discussão, o confronto, válido pelas oitavas de final da Libertadores, acabou suspenso com o placar em 0 x 0. Na ida, uma semana antes, o River havia vencido por 1 x 0.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação