Atropelada e morta no SIG

Atropelada e morta no SIG

Doméstica de 54 anos aguardava ônibus para ir ao trabalho quando foi atingida por um Fiesta. A motorista, grávida, perdeu o controle da direção ao ser fechada por um ônibus. Houve mais três acidentes

Luiz Calcagno
postado em 01/08/2015 00:00
 (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press
)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press )


Quatro acidentes marcaram ontem o trânsito do Distrito Federal. No mais grave deles, uma mulher que estava em uma parada de ônibus do Setor de Indústrias Gráficas (SIG) morreu após ser atingida por um carro. A doméstica Maria da Paz de Jesus, 54 anos, esperava um coletivo para ir ao trabalho. A motorista, grávida, perdeu o controle da direção após ser fechada por um ônibus. Em outra ocorrência, também pela manhã, dois caminhões e um carro se envolveram em uma batida na DF-003, na descida do Grande Colorado. Os três veículos ficaram destruídos. No começo da tarde, um automóvel subiu o meio-fio e bateu na cerca de arame ao redor do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, no Eixo Monumental.

No primeiro acidente, uma bancária grávida de 24 anos guiava um Fiesta branco pela via principal do SIG, quando um ônibus da Sociedade de Transporte Coletivos de Brasília (TCB), da linha 107.3, fez um retorno e fechou o veículo menor. Segundo testemunhas, ela foi obrigada a desviar bruscamente para a direita, na direção da parada de ônibus que fica em frente a uma churrascaria. O veículo desgovernado invadiu o ponto, atingiu Maria Paz e tombou de lado. O motorista do ônibus seguiu viagem rumo à Rodoviária do Plano Piloto sem prestar socorro.

O Corpo de Bombeiros prestou atendimento, e o trânsito precisou ser interrompido no local para que o helicóptero da corporação levasse a doméstica para o Hospital de Base do DF (HBDF). Com o impacto da batida, Maria da Paz foi arremessada contra o pirulito de concreto, ao lado da parada. Ela ficou caída entre o carro e a estrutura e, segundo testemunhas, antes mesmo da chegada dos socorristas, aparentava estar morta. Os paramédicos tentaram reanimá-la por 30 minutos para embarcá-la na aeronave, mas não tiveram sucesso.

Os dois air-bags dianteiros do Fiesta foram acionados. Apesar do choque do equipamento contra a barriga dela, a condutora não sofreu nenhum ferimento grave. Após o acidente, no entanto, ao perceber que tinha atingido alguém, a motorista passou mal e ficou em estado de choque. Os bombeiros a levaram de ambulância para o HBDF. Posteriormente, familiares a transferiram para uma maternidade particular, com pressão alta.

Policiais militares encontraram o motorista do ônibus na Rodoviária do Plano Piloto. Ele foi levado para a 3; Delegacia de Polícia (Cruzeiro) para prestar depoimento. A reportagem ligou para a unidade, no fim da tarde, mas agentes informaram que ele ainda não tinha sido ouvido.

Maria da Paz morava com a família em Luziânia. Deixou cinco filhos e vários netos. Nasceu em Monte Alegre de Goiás. No fim da tarde de ontem, os parentes prepararam o traslado para o povoado de Prata, no município de Monte Alegre. A filha Eliane de Jesus, 32 anos, postou, em uma rede social, uma mensagem de luto. ;Partiu hoje o meu porto seguro. Minha mãe, minha amiga. Minha alma queria que esse dia nunca tivesse chegado. Para muitos, ela era Maria da Paz de Jesus. Para outros, Paezinha e, também, Mariinha. Hoje, ela nos deixou. Amo você com toda a força do meu ser;, escreveu.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação