Com dúvidas sobre Tesouro, risco dispara

Com dúvidas sobre Tesouro, risco dispara

postado em 22/12/2015 00:00
As dúvidas em relação à equipe do ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, sobretudo em relação a quem ocupará a Secretaria do Tesouro Nacional, ajudaram a azedar o humor dos investidores. Não por acaso, o Risco Brasil, medido pelos Credit Swap Default (CDS), uma espécie de seguro contra calote, disparou e encerrou a segunda-feira 501,7 pontos, o nível mais elevado desde o fim de setembro, quando o Brasil perdeu o grau de investimento pela Standard & Poor;s (S).

Índice acima de 500 pontos significa que as chances de um país quebrar são maiores. Portanto, o recado é que é preciso cautela ao investir no Brasil. Embora Barbosa tenha defendido ontem a continuidade da política econômica do antecessor, Joaquim Levy, os donos do dinheiro continuam céticos quanto à vontade ; e capacidade ; de que ele leve adiante o ajuste fiscal e as reformas vistas como urgentes, como a tributária e a da Previdência.

Barbosa garantiu que, ;apesar das turbulências, os investidores nacionais e internacionais podem continuar confiando no Brasil;. Segundo ele, todos podem ter certeza de que o governo trabalhará incansavelmente para transformar o potencial de desenvolvimento do país em oportunidades concretas de negócios e de investimentos. A desconfiança, porém, é enorme, e empurrou as taxas de juros para cima no mercado futuro. Os contratos de janeiro de 2018 saltaram para 16,61%.

Sem um nome definido para o Tesouro Nacional, Barbosa nomeou interinamente para o órgão Otávio Ladeira de Medeiros, que era secretário adjunto da área fiscal. (AA)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação