Pressão aumenta sobre o PP-DF

Pressão aumenta sobre o PP-DF

Helena Mader
postado em 27/05/2014 00:00
A decisão da Executiva Nacional do PP de apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff aumenta a pressão sobre o diretório regional do Distrito Federal para que o partido permaneça na base do governador Agnelo Queiroz (PT). Apesar de oficialmente ainda integrar o grupo de legendas aliadas ao Palácio do Buriti, o PP do DF evita antecipar qualquer decisão sobre as eleições na capital federal e, por isso, é cobiçado pelos pré-candidatos ao Governo do Distrito Federal. O partido está dividido: alguns progressistas querem se manter fiéis a Agnelo, outros estão insatisfeitos com o espaço disponível no primeiro escalão e defendem o rompimento.

Dos cinco partidos com mais tempo de televisão, o PP e o PSD são os únicos do DF que ainda não anunciaram qual candidato ao governo vão apoiar. A indefinição alimenta o assédio dos concorrentes ao Buriti, que sonham em turbinar o tempo de propaganda de tevê. O PP terá 1 minuto e 33 segundos nos programas eleitorais.

O presidente regional do PP, distrital Benedito Domingos, é favorável à manutenção do apoio à dobradinha PT-PMDB, mas ele foi condenado em segunda instância por fraude à Lei de Licitações e está inelegível, o que reduziu sua influência dentro do partido. Alguns deputados distritais filiados à legenda, como Paulo Roriz, não disfarçam o descontentamento com o espaço que o partido ocupa no governo. Desde o ano passado, quando ainda era secretário do GDF, Paulo criticou duramente o Palácio do Buriti. Ele é muito próximo do ex-governador José Roberto Arruda (PR), pré-candidato ao governo.

Já o deputado distrital Dr. Michel defende a repetição da aliança com Agnelo Queiroz. ;Sou da base há quatro anos e pretendo continuar;, explica o parlamentar. O ex-vice-governador Paulo Octávio, que ingressou no PP no ano passado, explica que a decisão só ocorrerá após uma convenção regional, marcada para 30 de junho. ;Precisamos aguardar a convenção nacional, para termos uma visão exata do cenário;, comenta Paulo Octávio.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação