Os caminhos para o Enem

Os caminhos para o Enem

Confira dicas de estudo para o exame e as possibilidades abertas por meio da prova, a ser aplicada em 8 e 9 de novembro

postado em 03/09/2014 00:00
 (foto: Oswaldo Reis/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Oswaldo Reis/Esp. CB/D.A Press)


Obter uma boa nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é o novo sonho dos brasileiros que querem ingressar no ensino superior. No Brasil, a prova é porta de entrada para 118 instituições públicas, entre elas a Universidade de Brasília (UnB). No exterior, é aceita pelas portuguesas Universidade de Coimbra e Universidade da Beira Interior. Além de dar acesso ao ensino técnico e superior e a programas de financiamento estudantil, as notas do exame podem ser usadas para certificação de diploma de nível médio. Professores de cursos preparatórios afirmam que, para se destacar, disciplina e foco são fundamentais durante essa fase. A pouco mais de dois meses do Enem, a dica é analisar e descobrir a raiz dos erros mais frequentes.

Segundo Andréa Franco, coordenadora pedagógica do Centro Educacional Leonardo da Vinci e professora de português, quem faz questões de simulados tem vantagem competitiva. ;É preciso ser determinado, conhecer o estilo do exame e saber como as questões são organizadas. Estar preparado emocional e fisicamente também é primordial porque a prova é extensa e cansativa;, diz. A professora Andréa salienta ainda que o estudante deve fazer uma análise para identificar deficiências. ;Muitos pecam em estudar só as coisas de que gostam e acabam se esquecendo dos conteúdos em que têm dificuldades. Então, direcionar o estudo, seguir um cronograma e evitar acumular conteúdo para a véspera da prova pode fazer diferença.; Segundo ela, a semana que precede o exame pode ser dedicada para revisar o material já estudado. ;Tentar aprender muita coisa em cima da hora pode causar uma sobrecarga e deixar o estudante ansioso;, alerta.

Para Andrea, fazer provas de múltipla escolha é um grande desafio para quem está acostumado com o modelo utilizado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) nos testes do Programa de Avaliação Seriada (PAS) e do vestibular da UnB. ;Ambas as provas são muito bem contextualizadas, mas a sistemática é diferente. Nas provas do Cespe, você tem um texto e, daquele texto, podem ser extraídas questões bem direcionadas para história ou geografia. Então, daqui a pouco, você acha que está respondendo algo sobre literatura quando está, na verdade, respondendo sobre história. Já as questões do Enem são mais direcionadas, de múltipla escolha, que usam a Teoria de Resposta ao Item ; uma metodologia que visa retratar a posição que o aluno ocupou na escala de proficiência em que a maioria dos candidatos se encontra;, esclarece.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação