Indústria demite 59 mil

Indústria demite 59 mil

postado em 24/10/2014 00:00
 (foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press - 27/2/13)
(foto: Gustavo Moreno/CB/D.A Press - 27/2/13)



Os trabalhadores do setor industrial vivem uma situação dramática. Entre agosto e setembro, as fábricas das seis maiores regiões metropolitanas do país dispensaram 59 mil empregados, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), uma queda de 1,7% na força de trabalho. Na comparação com setembro do ano passado, o tombo foi ainda maior, de 6,4%, com a eliminação de 238 mil vagas.

São Paulo, a região mais industrializada do país, liderou as demissões, com a dispensa de 37 mil empregados. Em relação a setembro de 2013, foram registrados 137 mil postos de trabalho a menos. A construção civil também enxugou fortemente o quadro de pessoal no mês passado. De acordo com a pesquisa do IBGE, o setor fechou 63 mil vagas em todo o país, uma queda de 3,5% no contingente de mão de obra. Se a comparação for feita com o mesmo período do ano passado, as dispensas alcançaram 81 mil trabalhadores, um recuo de 4,4% no nível de emprego.

Preocupação
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou ontem levantamento indicando que a produção das fábricas, que apresentava queda desde novembro do ano passado, foi interrompida em setembro, mas avaliou que a expectativa continua negativa. ;Em setembro, a produção ficou estável, mas ainda não se trata de uma reversão de tendência, porque não houve crescimento no mês;, afirmou o gerente executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco.

Segundo ele, a queda no emprego e a dificuldade de acesso ao crédito são fatores preocupantes. ;Neste ano, a demanda global caiu e prejudicou a indústria brasileira. E as incertezas decorrentes do processo eleitoral adiaram decisões de investimentos;, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação