CGU abre processos contra empreiteiras

CGU abre processos contra empreiteiras

postado em 04/12/2014 00:00
A Controladoria-Geral da União (CGU) abriu oito processos administrativos contra empreiteiras do suposto cartel que fraudava licitações da Petrobras. Se condenadas, algumas das gigantes da construção civil listadas pela Operação Lava-Jato podem ficar proibidas de contratar com a administração pública, sendo declaradas inidôneas. Algumas construtoras que foram punidas com essas medidas, como as empreiteiras Delta e Gautama, praticamente fecharam as portas por terem o governo como principal cliente. Outras punições envolvem o pagamento de multas.

Os processos abertos atingem as empresas Camargo Corrêa, Engevix, Galvão Engenharia, Mendes Junior, OAS, Queiroz Galvão, Iesa, e UTC-Constran. Elas fazem parte do grupo de empreiteiras que sofreram ações de busca e apreensão ou tiveram executivos presos na sétima fase da Operação Lava-Jato.

O ministro da CGU, Jorge Hage, determinou a abertura dos processos após obter cópias dos documentos que correm na 13; Vara Federal de Curitiba. Segundo a Controladoria, os depoimentos, emails, notas fiscais, transferências bancárias, registros de grampos telefônicos revelaram a necessidade de apuração. ;A CGU reuniu elementos suficientes para instaurar os oito primeiros processos administrativos com vistas a responsabilizar, de forma individual, as empresas envolvidas nos atos ilícitos;, informou o órgão em comunicado.

Algumas empresas da sétima fase, como a Odebrecht, não foram listadas, mas a Controladoria disse que existe a ;possibilidade; de novos processos serem abertos contra outras empreiteiras. Todas as processadas serão notificadas nos próximos dias.

20%
Percentual da multa aplicado em cima do faturamento anual da empresa, segundo a lei anticorrupção


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação