Tradição e encantamento

Tradição e encantamento

Anna Beatriz Lisbôa Especial para o Correio
postado em 19/03/2015 00:00




Luzes, sombras e imaginação são as matrizes do espetáculo Iara ; O encanto das águas, da Companhia Lumiato, que abre hoje a Roda Brasília de Teatro de Bonecos. Até 29 deste mês, o evento trará para o Sesc Garagem espetáculos, oficinas, debates e exposição fotográfica em uma verdadeira imersão na tradição do teatro de bonecos, legado da cultura nordestina que este ano recebeu o título de Patrimônio Cultural do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Criada em 2008 pelo brasiliense Thiago Bresani e pela argentina Soledad Garcia, a Cia Lumiato é a única do Centro-Oeste a trabalhar o teatro de sombras contemporâneo e, para o espetáculo de estreia, eles oferecem uma releitura da lenda indígena da sereia Iara, misturando o moderno e o mitológico na narrativa.

;No espetáculo utilizamos elementos naturais, como, por exemplo, plantas reais e madeira na cenografia;, explica Bresani. ;Na trilha sonora, usamos um pouco de musica eletrônica misturada à música feita com sons da natureza. Encontramos a nossa forma mesclando o contemporâneo e o mito;, completa.

Com a direção do gaúcho Alexandre Fávero, o espetáculo ; vencedor do Prêmio SESC do Teatro Candango nas categorias melhor direção, melhor dramaturgia e melhor trilha sonora ; já passou por São Paulo, Paraíba, Pernambuco e fez a estreia internacional em Buenos Aires. Para construir a linguagem de Iara, o grupo usou referências tanto do cinema quanto das artes plásticas, segundo Bresani. ;Buscamos a estética da caricatura, das pinturas rupestres, mas ela também está muito ligada ao cinema. Temos luzes móveis e usamos ações cinematográficas, como o travelling e o zoom;, destaca.

A programação da Roda será pautada pelo diálogo entre o contemporâneo e o tradicional, destacando a participação de Chico Simões, mamulengueiro brasiliense com 30 anos de carreira, e da professora da Universidade de Brasília (UnB) Izabela Brochado, coordenadora do Laboratório de Formas Animadas do Instituto de Artes.

Fruto do trabalho de pesquisa da professora, que a levou para diversas cidades do Nordeste, a exposição fotográfica Mestres e Bonecos do Teatro Popular do Nordeste poderá ser visitada a partir de hoje com entrada franca. Brochado, uma das responsáveis pelo pedido de tombamento do teatro de bonecos pelo Iphan, também mediará o debate sobre o tema da mostra como Patrimônio Cultural do Brasil.


Roda Brasília de Teatro de Bonecos
De hoje a 29 de março, espetáculos, às quintas e sextas, às 20h; e sábados e domingos, às 17h e às 20h, no Sesc Garagem (913 Sul). Ingressos: R$ 10 (inteira). Classificação indicativa livre.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação