As bases do plano

As bases do plano

postado em 03/04/2015 00:00
 (foto: Kazem Ghane/AFP)
(foto: Kazem Ghane/AFP)
Conheça os pontos-chave do acordo preliminar apresentado pelos negociadores do P5+1 e do Irã.

Sanções
Os embargos econômicos impostos pelos Estados Unidos e pela União Europeia contra Teerã devem ser levantados em fases, mas poderão ser restabelecidos, caso a República Islâmica não cumpra com sua parte no acordo. Sanções relacionadas a terrorismo, violação de direitos humanos e ao programa de mísseis do país serão mantidas.

Estoques
O Irã terá de abrir mão de parte de suas reservas de urânio enriquecido. Segundo o secretário de Estado americano, John Kerry, o material deverá ser reduzido em 98% nos próximos 15 anos

Reatores
A capacidade de enriquecimento atômico do país deverá ser diminuída e o número de centrífugas nucleares reduzido em mais de dois terços ; de 10 mil para 6.104 ;, nos próximos 10 anos. Segundo Federica Mogherini, apenas a instalação de Natanz deverá ser utilizada para o processamento de material nuclear, onde mil centrífugas avançadas IR-2M serão removidas. Outras estruturas do projeto atômico iraniano deverão ser convertidas para outros usos. A instalação de Fordo, construída debaixo de uma montanha, será transformada num centro de pesquisa e tecnologia física e nuclear. Quase dois terços de suas 2.700 centrífugas serão desativadas.

Água pesada
O reator de água pesada de Arak, que seria capaz de enriquecer plutônio, deverá ser redesenhado para outra finalidade. Segundo as condições apresentadas pelos negociadores, o Irã não poderá processar plutônio pelos próximos 15 anos.

Pesquisa
Federica Mogherini afirmou que Teerã terá o direito de manter as pesquisas sobre física nuclear, desde que siga um cronograma ;mutualmente acordado;. A diplomata, porém, não deu detalhes sobre esse prazos.

Inspeções
As instalações iranianas deverão ser submetidas a rigorosas inspeções conduzidas pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) por pelo menos 25 anos. Segundo o presidente norte-americano, Barack Obama, o Irã será mais fiscalizado do que qualquer outro país.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação