Três perguntas para Steve Arneson

Três perguntas para Steve Arneson

postado em 19/06/2016 00:00
 (foto: Reprodução/Arneson Leadership Consulting)
(foto: Reprodução/Arneson Leadership Consulting)

Autor de O que o seu chefe realmente quer de você, Steve Arneson fundou a Arneson Leadership Consulting. Coach executivo há mais de 20 anos, é doutor em psicologia organizacional pela Universidade de Tulsa.

O que o motivou a escrever um livro sobre a comunicação entre chefe e funcionário?

Ter trabalhado para vários gestores durante minha carreira e ter ouvido vários clientes de coaching sobre o relacionamento com seus superiores. Senti que eu tinha alguma coisa para dizer sobre o que alguém pode aprender com bons e maus chefes. Se você está numa posição de poder, fornecer expectativas claras e dar feedback são os melhores presentes que pode dar a seus empregados.

O livro divide o processo de mudança com relação à comunicação com o gestor em três etapas. Você pode explicá-las?
A primeira coisa que você deve fazer é ;estudar seu chefe; para entender motivos, agenda e estilo de comunicação dele. Você precisa realmente fazer a sua tarefa para determinar o que o ele quer de você. O segundo passo é olhar para si mesmo pelos olhos do gestor. Seja objetivo e tente entender como ele vê. A terceira etapa é ser responsável na relação com o superior. Você não pode mudar o seu chefe, mas você precisa ajustar sua mentalidade e comportamento para melhorar seu relacionamento com ele.

O que é essencial para que o líder e o funcionário tenham uma boa relação no ambiente de trabalho?
Confiança e respeito. O relacionamento falhará rapidamente se a confiança for perdida. Se você não pode confiar no seu chefe, não está apto para trabalhar muito duro para ele, e o gestor não pode confiar em você. Logo, sua carreira e seu emprego estão correndo perigo. Ganhe a confiança da outra pessoa, e qualquer coisa é possível. Trate o gerente com respeito, honre os pedidos deles, respeite a maneira dele de fazer negócios e de se comunicar.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação