R$ 3 bilhões para ônibus

R$ 3 bilhões para ônibus

SIMONE KAFRUNI* Enviada especial
postado em 31/08/2017 00:00
São Paulo ; O setor de transporte urbano não contará com recursos federais na próxima década, disse ontem o secretário de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, José Roberto Generoso. ;Nos próximos 10 anos, o ministério não terá recursos para financiar a fundo perdido. Temos que trabalhar com outras linhas;, afirmou, durante o Seminário Nacional NTU 2017 & Transpúblico.

Generoso explicou que a pasta vai promover uma ;limpeza; nos projetos de infraestrutura dos municípios, porque são ;muito ruins;, para elencar novas propostas, mais bem elaboradas. Ele afirmou que os recursos do Orçamento da União estão minguando e restam os financiamentos via Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). ;Os recursos só serão liberados se os municípios tiverem um bom plano de mobilidade. Queremos acabar com a onda de maus projetos;, disse.

Para renovação da frota, o secretário disse que o Refrota 2017 tem R$ 3 bilhões para financiar 10 mil ônibus. ;As linhas podem ser contratadas pela Caixa e o BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul);, ressaltou. A linha exige contrapartida de 5% e cobra juros de 9% ao ano mais a TR. Por enquanto, estão em análise R$ 735,2 milhões em empréstimos para renovação de 1.580 veículos.

Pesquisa da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) e da Confederação Nacional do Transporte (CNT) mostrou que o transporte é o pior problema urbano para 12,4% dos entrevistados. Falta de segurança, com 67,8% das citações, saúde (51,5%) e desemprego (36,6%) encabeçam a lista. Segundo o diretor técnico da NTU, André Dantas, o preço das passagens é a reclamação mais recorrente (64,5%). Falta de segurança (55%) e de conforto (44,9%), além do elevado tempo de viagem (28,8%), também são motivo de queixas.

* A repórter viajou a convite da NTU

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação