Devoção católica

Devoção católica

Cerca de 35 mil fiéis, de acordo com os organizadores, celebraram a Eucaristia na Esplanada dos Ministérios. Iluminada por milhares de velas, procissão caminhou sobre tapete montado para a festa religiosa

postado em 01/06/2018 00:00
 (foto: Fotos: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Fotos: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

Uma procissão de velas iluminou o canteiro central da Esplanada dos Ministérios no começo da noite de ontem. Cerca de 35 mil fiéis, de acordo com os organizadores, homenagearam o dia dedicado à Eucaristia, um dos principais sacramentos da Igreja Católica. A caminhada sobre o tapete de 150 metros, montado durante o dia por cerca de 500 jovens, foi o ponto alto da celebração que começou às 17h, na Catedral de Brasília. Antes disso, desde as primeiras horas do dia dessa quinta-feira, o tapete começou a ser montado com serragem colorida. A Polícia Militar calculou a presença de 25 mil pessoas.

;Este é o mistério da fé;, a frase dita em todas as celebrações da missa após, a transubstanciação do vinho e do pão em corpo e sangue de Cristo, é comemorado no feriado de Corpus Christi. Entusiasmo, devoção e emoção marcavam o semblante dos fiéis que participaram da cerimônia católica.;No coração de Brasília, nossa devoção pública se torna ainda mais significante. É mostrar ao Brasil que essa multidão reunida é o testemunho da nossa fé. Sem ter receio, vergonha, é a hora de mostrar que seguimos a Jesus e que precisamos da Eucaristia;, disse o Cardeal Dom Sérgio da Rocha durante o sermão. Este ano, a comemoração marcou os 40 anos de realização da festividade na Esplanada. A partir das 7h da manhã, aproximadamente 500 jovens de 18 grupos pastorais da Arquidiocese de Brasília se concentraram no local para preparar a passagem da procissão sobre um tapete multicolorido.

Para os 30 quadros desenhados no chão, foram usados dois caminhões de areia, 60 sacos de palha de arroz, 60 sacos de serragem de madeira, mil tubos de bisnagas de tinta líquida nas cinco cores básicas. Além de sal, borra de café e pétalas de rosas. As figuras representavam o que é utilizado na celebração da missa, como cálice, patena, ostensório, âmbula e hóstias. Neste ano, também foram feitos desenhos em homenagem aos 40 anos da Festa de Corpus Christi na Esplanada e à Campanha da Fraternidade.



Gratificante

O estudante de direito Vinícius Maia, 25 anos, veio como a família e outros 30 amigos participantes do grupo Pastoreio Jovem, da igreja Santíssimo Sacramento, na 606 Sul. Desde as 7h da manhã no local, quando chegou para montar o tapete, Vinícius ainda tinha bastante energia para ajudar a desmontar a festa. ;É bastante gratificante. A gente se diverte e faz um serviço para Deus, deixando a Esplanada mais linda e preparada para receber a procissão. É uma festa importante, porque a Eucaristia é estar em comunhão com Deus, poder se alimentar daquilo que a alma precisa;, declarou.

Após a celebração da Eucaristia, os fiéis acenderam velas, simbolizando a luz que vem de Deus. Elas guiaram toda a procissão do sacramento que passou pelo tapete, preparado especialmente para este momento. Na passagem, católicos se emocionavam e erguiam as mãos, símbolo de gratidão e contemplação.

Entre os fiéis que acompanharam a procissão, a dona de casa Maria Teixeira da Costa, 61, veio do Paranoá com o marido, Bernardino Gonçalves da Costa, 63, e toda a família. ;Deus vive dentro de mim e toda minha família, criada sob a base cristã. É tanta fé que eu já fui curada, quando nem os médicos acreditavam que eu poderia sair viva. Quem me curou foi Ele;, assegurou Maria, que teve metade do pâncreas necrosado por conta de uma complicação causada por uma pedra na vesícula. A procissão percorreu o primeiro quadrilátero da Esplanada, em frente à Catedral. Na ocasião, foram concedidas três bênçãos. A primeira para os doentes, a segunda dedicada aos governantes e a terceira às famílias. Foram mais de 40 minutos de caminhada, embalada por cantos de louvor e iluminada pelas velas.

Durante a passagem dos fiéis, todas as faixas da Esplanada ficaram disponíveis somente aos pedestres, mas o trânsito foi modificado durante todo o dia com duas faixas da via S1 e N1 fechadas para os carros. Detran, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros estiveram presentes para garantir a segurança dos participantes.

Tradição preservada

Na festa de Corpus Christi, a hóstia é levada em procissão percorrendo as ruas enfeitadas com tapetes. A celebração teve início no século 13, na Bélgica. No Brasil, a tradição que veio com os colonizadores portugueses, teve início em Ouro Preto, cidade histórica de Minas Gerais.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação