Estantes

Estantes

postado em 28/07/2018 00:00
 (foto: Editora Schwarcz/Reprodução)
(foto: Editora Schwarcz/Reprodução)

Ser republicano no Brasil colônia
De Heloisa M. Starling. Companhia das letras. 375 páginas. R$ 69,90.
; O livro se propõe a um mergulho no mundo de 1889, em que ; após um golpe militar ; se instaura uma jovem República. O leitor poderá conferir como se davam as conjurações de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia para com uma política republicana, bem diferente com a qual estamos acostumados. A produção também constata a essência oligárquica e excludente que se perpetuou nacionalmente desde então.


O lulismo em crise: um quebra-cabeça do período Dilma (2011-2016)
De André Singer. Companhia das letras. 389 páginas. R$ 59,90.
; Segundo Romero Jucá, ocorreu um ;acordo nacional;, ;com o Supremo, com tudo;, que levaram ao impeachment de Dilma Rousseff. A proposta de Singer é reconstruir de maneira detalhada como os modelos de governo da petista (de ensaio desenvolvimentista e republicano) foram afetados pela afirmação de Jucá. Estuda-se ainda como o modelo lulista se deu no governo de Dilma, e principalmente, como mergulhou em uma crise absurda.


1492: O ano em que o mundo começou
De Felipe Fernández-Armesto. Companhia das letras. 416 páginas. R$ 59,90.
; Apesar de ser marcado pela chegada de Cristóvão Colombo à América, o ano de 1492 também foi data de outros acontecimentos históricos ao redor do mundo. No livro, o historiador Felipe Fernández-Armesto reconstitui a atmosfera da época, abordando importantes fatos da Ásia, Europa e África.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação