Como economizar com as bagagens

Como economizar com as bagagens

Especialistas garantem que é possível viajar com uma mala de até 10kg em passeios de um mês sem arcar com os custos extras cobrados pelas companhias aéreas para o despacho de bagagem no porão do avião

» Tuanny Carvalho*
postado em 17/07/2019 00:00
 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)


Muita gente tem se perguntado como fugir do pagamento exigido pelas companhias aéreas para o despacho de malas na hora de viajar. A cobrança de bagagens foi ratificada por decisão do presidente Jair Bolsonaro, que vetou projeto aprovado pelo Congresso, que garantia isenção da tarifa em voos domésticos. Se o viajante se organizar direitinho, poderá fazer uma boa economia. E, melhor, carregar, na cabine do avião, todos os itens indispensáveis, seguindo, claro, as regras de segurança estabelecidas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Segundo os especialistas, é possível viajar por uma semana, 15 dias ou um mês com uma bagagem de mão de 10kg, sem despesas adicionais. Mas tudo depende do que se quer levar para o passeio. Há, por exemplo, pessoas que viajam por apenas cinco dias e fazem questão de carregar uma mala de 23kg, arcando com o custo do despacho. São decisões pessoais. Mas é bom ficar atento, pois no caso de uma família de quatro pessoas, cada uma levando um apetrecho, o custo será pesado. Não se está em tempos para desperdícios.

Pela norma jurídica n;400/2016 da Anac, as empresas aéreas podem vender passagens com diferentes tipos de franquias de bagagem despachada. Desse modo, o viajante precisa estar atento à quantidade de malas e ao peso delas, pois fica a critério de cada companhia cobrar ou não pelo despacho de bagagens acima de 10 quilos. Outro dado importante: caso a pessoa carregue, além da mala, uma bolsa ou mochila com peso que permite gratuidade pela regra da agência reguladora, as empresas podem definir se haverá custo adicional na compra da passagem antecipada ou no check-in.

Toda atenção é pouca: o aumento da taxa para despacho de bagagens chegou a quase 100% de 2018 a 2019. Os dados são do Ministério Público Federal (MPF), que constatou um salto de R$ 30, em média, algo entre R$ 50 e R$ 60 por mala em voos domésticos. Nas viagens internacionais, a tarifa pode chegar a R$ 600 por despacho.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação